segunda-feira, 27 de abril de 2020

Por onde começar?


Arte de Yun Ling ou apenas @lingy000

Este é o título do primeiro projeto audiovisual que me propus junto ao amigo oculto. Não é algo grande, revelador ou modificador de vidas. É algo simples, íntimo e sincero. E como assunto, joguei uma proposta singular. Perguntei-o sobre o começo de tudo e, por incrível que pareça, ficamos por horas falando e falando sobre as coisas.
Por onde começar? Do início, claro! Mas onde seria esse início? Bem, isso depende bastante.
Se você fala de um texto, por exemplo, você começa do conceito, da origem histórica ou etimológica. Assim, acabamos alcançando alguns contextos e colocamos o leitor em uma situação sabida. Para começar a cozinhar, gosto de primeiro lavar os pratos e copos, deixar a pia limpa e pronto para receber a próxima rodada. Com tudo limpo, sinto-me satisfeito para começar uma prato simples, um almoço elaborado ou uma janta conterrânea. Para começar exercícios físicos, começamos com o alongamento. Aquecer o corpo para trilhar os caminhos do estica-e-puxa. Claro que isso também serve para o canto, a dança e o instrumento musical. Aquecimento é válido e necessário quando se põe músculos à prova.
Para começar a ler do nada, indico sempre começar por algo que sabemos que gostamos. Um tema, uma trama, um autor. Do mesmo modo acontece com as maratonas de séries e filmes. Começar um projeto, assim como começar a ler este texto, vem da proposta inicial de querer e quando você percebe, já está quase acabando. Começar às vezes só cabe você parar e fazer. Se dedicar uns minutos para aquela tarefa, sair um pouco das redes sociais e cair em um mundo meio arisco: o mundo real.
Ao começar uma conversa, elogie, ao começar um trabalho, seja grato, ao começar a arrumar a casa, seja música.
Limpo a mesa para começar a digitação prolongada. É um ritual. Faço mapas mentais para organizar os assuntos por tema. É uma mania. Traço um cronograma para trilhar as matérias desse semestre, é hábito. Mas, no fim, de todo esse começo, faço o que me prometi a fazer. Não uso de procrastinação ativa para desviar do objetivo. Fazer faxina no quarto para estar tudo limpo e, assim, estudar por horas sem se preocupar com o entorno é sensacional. Só que... faxina todo dia e acabar cansada em sequer tocar no livro... bem, sabemos onde isso vai dar. 
Começar não é fácil, por isso, não se cobre tanto. Comece, recomece, repita e tente mais uma vez. Com o tempo, lá na frente, você verá que é simples e até mesmo prazeroso. Dá uma lida um pouco por dia, converse sobre as coisas, assista aquele filme que tu tanto queria, mas não deixe de começar a viver as coisas do jeito que deve ser. 
Podemos começar todos os dias, mas o final é sempre o mesmo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ultimo suspiro

  Imagem por breezeh ou @briscoepark Navegar pelas redes sociais em tempos de pandemia é um caminho tortuoso. No começo, entre os três prime...