quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Caminhos de Sangue (Dustlands: Livro 1)


Caminhos de Sangue - Dustlands, livro 1
Moira Young, Intrínseca - 349 págs.

Sinopse:
O Lugh nasceu primeiro. No solstício de inverno, quando o sol fica bem baixinho no céu. Depois fui eu. Duas horas depois. Isso já diz tudo.
O Lugh vai primeiro, sempre primeiro, e eu venho atrás.
E assim tá bem.
Assim tá certo.
É assim que tem que ser.

Saba foi criada na Lagoa de Prata, uma imensidão de terra desértica assolada por constantes tempestades de areia. A miséria e a aridez do lugar não a incomodam, contando que seu irmão gêmeo, Lugh, esteja por perto. Um dia, porém, pouco depois de seu aniversário de dezoito anos, uma enorme tempestade traz em seu rastro quatro cavaleiros de manto negro, e a vida de Saba desmorona como a areia que rasgava o céu: seu pai é morto e Lugh, seu sol, é raptado. Saba não tem escolha a não ser ir atrás dele.

Atirada na realidade selvagem e sem lei do mundo fora da Lagoa de Prata, Saba não sabe o que fazer sem Lugh para guiá-la. Por isso, talvez, sua maior surpresa seja o que descobre sobre si mesma: é uma lutadora incansável, uma sobrevivente voraz, a mais astuta das oponentes. Com a ajuda de um audacioso e atraente fugitivo e de uma gangue de garotas revolucionárias, a busca pelo seu irmão fará dela a protagonista de um confronto que vai mudar o destino de uma civilização.

Com ritmo ininterrupto, muita ação e uma épica história de amor, Caminhos de Sangue é uma aventura violenta e grandiosa.

Até 100:
A) Opinião sobre a história?
(Achei uma premissa um pouco vazia, principalmente por ter na capa uma indicação ao Jogos Vorazes. Embora lido com imparcialidade, é impossível não comparar vez ou outra.) A busca do irmão vai além do esperado, tem muita afetividade que só percebemos ao ler, a situação de pobreza e escassez de recursos faz entender o motivo real da ligação deles. O desenvolver até a página 100 é um pouco lento, ou as cenas são curtas demais, não sei ao certo. O interessante é como ele é narrado, não há pontuação de diálogos clássicos, como a estrutura comum de travessões ou aspas, tudo se desenrola como se realmente faltasse educação, bem como a exploração da condição intelectual nos verbos, ao exemplo de "comeno, correno, ino".

B) Opinião sobre os personagens?
 São crianças, daí você observa o nível de fragilidade da situção. Pobres, vivem no sertão, sem ter o que comer ou beber sem enfrentar bastante dificuldades. Do mesmo jeito possuem o que as pessoas de recursos limitados têm sempre, esperança de que tudo melhore, ou que apenas não piore. Elas continuam lutando sem saber o que fazer, mas não podem desistir.
C) Qual o ponto entre a posição atual e a sinopse?
 Não parecem guerreias até então, mas já se mostram fortes por terem idade pouca. Acabaram de sair da Lagoa de Prata e atravessar os desertos.

D) Frase mais interessante até agora?
Água venenosa. Areias errantes.
E) Qual a ultima frase da página 100?
Os chumaços vão caíno com um flop ,olhado.
F) Pretende continuar a ler?
Sim, estando quase na metade e com um conflito prestes a se resolver, nada mais justo que terminar esse início de história para que a curiosidade passe pelo corredor. (Só lendo para entender.)
G) O que esperar do restante do livro?
Aguardo ansioso a reviravolta de Saba e sua irmã para com os escravizadores e aquela cidade mercenária. Também espero que o irmão dela apareça pra dar alguma satisfação, porque ele é muito citado e até agora é a princesa em perigo.
I) Indicaria esse livro?
Sim, o livro é juvenil, tem uma linha de raciocínio fácil de entender e por vezes é engraçado. Como é o primeiro livro, logo é sabido que a história fica presa apenas na apresentação daquele mundo, então vamos ao próximo passo: saber como Saba salva o irmão.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Todo amor do mundo.


 E o tempo vai deixando só as melhores coisas arderem no peito. E assim será melhor. Os dias vão passando sem uma contagem precisa de tempo, e o que antes eram dias e semanas, hoje são apenas datas comemorativas, logo você percebe que o calendário só serve para isso, delimitar acontecimentos: Ano novo, carnaval, páscoa... E assim talvez será melhor. Você desejará um dia com trinta horas, uma semana com menos dias, um ano que passe devagar para entregar projetos, e mais rápido para que você possa viajar nas férias de verão. O que vai ficando para trás é um amontoado de acontecimentos atordoados, carros batidos, contas pagas, festas fotografadas, encontro com amigos, trabalhos em planos e beijos roubados. E assim será bem melhor. Quando você perceber já foi. "Será um dia" e "foi naquele dia", o amanhã ou o ontem, é bem por aí. Não se preocupe em ter medo das coisas, pois nada será do mesmo jeito, nem mesmo seu medo. E assim será melhor, porque você pode inovar nos erros, nas mágoas, nas risadas e aventuras, se você se repetir, aos poucos cansará de si mesmo, e isso nunca é bom, o melhor é reciclar o corpo e alma e guardar o coração em um lugar seguro, para que quando você tiver a oportunidade de mostrar à alguém, ele estará limpo e honesto. E com certeza assim será melhor, para ele e para você, para ambos os sorrisos. Engraçado quando eu olho para trás e me vem aquele momento de lembrar de coisas, e como tudo isso se soma em uma abraço saudosista, acredito que isso se chama crescer; aprender com os erros próprios e dos outros. Será melhor, assim evitarei o desnecessário, esquivo da perda de tempo, de ser passa-tempo de quem não tem o que fazer. Pego meu coração e brinco de pôr em chaves, pois ele é diminuto, não sobrou quase nada. Se eu tivesse conseguido tomá-lo de volta... Se eu tivesse ao menos guardado um pouco mais dele... Se assim fosse melhor... Mas não foi. O que resta é continuar preservando o que restou, engarrafado, escondido no impensado, aquecido pelas melhores coisas que o tempo deixou, observando os dias passando sem contar, logo virará o calendário e assim será melhor. Tudo será melhor.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

10 Motivos para você ter o hábito de ler.



Livros com histórias envolventes são capazes de desligar você do mundo ao redor, fazendo com que sua atenção esteja inteiramente voltada para o que acontece na trama
Uma das práticas que os jovens consideram mais entediantes é a leitura. Não é raro ouvir reclamações sobre a obrigatoriedade da leitura, mesmo que algumas histórias surpreendam por atrair o interesse. Contudo, estabelecer o hábito da leitura pode trazer diversos benefícios para a vida, tanto no mundo acadêmico quanto na carreira. Confira a seguir 10 motivos pelos quais você deveria ler todos os dias:

1. Estímulo mental

O cérebro necessita treinamento para se manter forte e saudável e a leitura é uma ótima maneira de estimular a mente e mantê-la ativa. Além disso, estudos mostram que os estímulos mentais desaceleram o progresso de doenças como demência e Alzheimer.

2. Redução do estresse

Quando você se insere em uma nova história diferente da sua, os níveis de estresse que você viveu no dia são diminuídos radicalmente. Uma história bem escrita pode transportá-lo para uma nova realidade, o que vai distraí-lo dos problemas do momento.

3. Aumento do conhecimento

Tudo o que você lê é enviado para o seu cérebro com uma etiqueta de “novas informações”. Mesmo que elas não pareçam tão essenciais para você agora, em algum momento elas podem ajudá-lo, como em uma entrevista de emprego ou mesmo durante um debate em sala de aula.

4. Expansão de vocabulário

A leitura expõe você a novas palavras que inevitavelmente elas serão incluídas no seu vocabulário. Conhecer um número grande de palavras é importante porque permite que você seja mais articulado em seus discursos, de maneira que até mesmo a sua confiança será impulsionada.

5. Desenvolvimento da memória

Quando você lê um livro (especialmente os grandes) precisa se lembrar de todos os personagens, seus pontos de vista, o contexto em que cada um está inserido e todos os desvios que a história sofreu. A boa notícia é que você pode utilizar isso a seu favor, fazendo dos livros um treino para a sua memória. Guardar essa quantidade de informações faz com que você esteja mais apto para se lembrar de eventos cotidianos.

6. Habilidade de pensamento crítico

Já leu um livro que prometia um mistério confuso e acabou por desvendá-lo antes mesmo do meio da história? Isso mostra a sua agilidade de pensamento e suas habilidades de pensamento crítico. Esse tipo de talento também é desenvolvido por meio da leitura. Portanto, quanto mais você lê, mais aumenta sua habilidade de estabelecer conexões.

7. Aumento de foco e concentração

O mundo agitado de hoje faz com que sua atenção seja dividida em várias partes, de modo que manter-se concentrado em apenas uma tarefa torna-se um desafio. Contudo, livros com histórias envolventes são capazes de desligar você do mundo ao redor, fazendo com que sua atenção esteja inteiramente voltada para o que acontece na trama. Embora você não perceba, esse tipo de exercício ajuda você a se concentrar em outras ocasiões, como quando precisa finalizar um projeto urgente.

8. Habilidades de escrita

Esse tipo de habilidade anda lado a lado com a expansão do seu vocabulário. Assim como a leitura permite a você ser alguém mais articulado na fala, também vai ajuda-lo a colocar com mais clareza os seus pensamentos no papel. Isso vai dar a você a chance de produzir textos com mais qualidade, não apenas de vocabulário, como também correção gramatical e ideias mais ricas.

9. Tranquilidade

O fato de envolver você em uma história e livrá-lo do estresse cotidiano faz do livro uma ótima ferramenta para alcançar a paz interior. Nos momentos de estresse, procure se distrair do que acontece com uma história que atrai seu interesse. Isso vai acalmá-lo e ajudá-lo a melhorar seu humor.

10. Entretenimento a baixo custo

Muitas pessoas acreditam que o conceito de diversão está diretamente ligado aos altos custos de uma viagem ou mesmo de uma festa. Contudo, se você encontrar um livro que chame a sua atenção, poderá viajar sem sair da sua casa.

Fonte: cafecomversos.com

Pronto!


Um dia acordei e decidi: A partir de hoje eu sou feliz. Pronto!
Parece bobagem, mas minha vida mudou completamente, eu parei de esperar o que nem sabia que estava esperando e muito menos de onde vinha. Parece louco, mas é verdade: quem procura felicidade nem sabe o que é isso. A felicidade pode estar embaixo do seu nariz. Pode ser apenas uma forma diferente de encarar a vida. Sim, porque uma mudança de prisma já traz felicidade. Faça o exercício da lagartixa, suba no teto e olhe sua vida como se ela não fosse sua. Veja que lá de cima o que te incomoda é pequeno, perto do tanto de coisas que você tem ao seu redor. Mas não, o sujeito que é teimoso fixa naquela eterna procura.
Que mania é essa de achar que felicidade vem lá da linha do horizonte ou pra lá de onde o vento faz a curva?
Que vem dos outros?
Que está no IMPOSSÍVEL?
Que felicidade que é felicidade, tem que ser inatingível?
Que feliz mesmo só o vizinho, ai que inveja?
Que vem em uma caixa gigante com laço vermelho?
E por aí vai, é uma infinita lista de razões para não ser feliz. Parece que o sujeito nasceu pra ser infeliz e ter do que reclamar, senão não tem graça né? Alerta! Sua felicidade apenas a você compete.
Funciona assim: Não colocar a responsabilidade da sua vida nas mãos de "alguém" para depois não ter que ser o chato a reclamar que "ninguém" foi capaz de te fazer feliz. Aí você vai dizer: É “impossível ser feliz sozinho”, e eu digo: Em parte sim, em parte não. Você precisa aprender a ter momentos de felicidade sozinho e é aí que tudo muda.
Estar acompanhado é um vício, que torna a solidão alvo da infelicidade. Aprender que você se basta é a chave do segredo. E sabe por que?
Se conseguir ser feliz sozinho, verá que em curto prazo logo os outros chegarão e companhia não te faltará.
Simplesmente porque eles ainda não pensam como nós, e por isso acreditam que só alguém feliz será capaz de fazê-los felizes também.
Acorde para a vida. Decida, finalmente, ser feliz.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Repouso


  A mente de qualquer pessoa comenta, gesticula, indica, subtrai, silencia, corrobora, deleta, e acrescenta um monte de coisas em todo momento. Em qualquer momento. Agora. A gente se pega pensando em planos para daqui a pouco, para mais tarde, para um futuro em conjectura. Até com os valores da loteria a gente já se imagina gastando, bem como o salário já gasto. 
 Essa é a mente de qualquer um.
 Mas... eu não sou qualquer um. Eu sou um deles. E sendo "diferente", minha mente não pensa assim, é muito raro perpetuar um estado de programação tão limitada. A minha mente, e toda sua personalidade particular, quando em total integridade cognitiva e substancial, ela narra. Ela fala de mim para consigo. É como se alguém narrasse a minha vida em detalhes de filme francês. Algo tão culto que colabora em monocromatizar a minha vida.
 O trabalho comum me afugenta.
 Minha mente grita pela liberdade, pelo ato impulsivo em ser confeccionada com o universo infinito. Estou na Terra, estou vivo, preciso trabalhar. E quando vejo as repetidas informações que se perdem durante o dia das pessoas que apenas sobrevivem em suas próprias escolhas feitas em pó, isso tudo me entristesse. 
 O corpo respira profundamente o ar do rubro céu que protege meu ser. Vejo tantos universos parasitados entre alienação genérica, potenciais tolhidos e traumas exagerados... Isso me entristesse. O mundo é tão veloz e a vida tão rápida que se eu for te lembrar que uma década atrás você nunca imaginaria a internet, ou de ter a informação instantânea, ou de estar em dois lugares ao mesmo tempo. No real e virtual.
 Já pensou que louco seria se todo mundo soubesse o quanto esse estigma superestima um simples piscar de olhos entre duas pessoas, ele e ela, numa avenida semi movimentada, de poucos carros, onde a loja de esquina que vende produtos de beleza é a mesma loja onde a prima, do namorado, de uma  das irmãs dela que viajou para Guatemala, entrou por um acaso quando seu cachorro escapou de seu domínio por causa do gato da vizinha, do tio do rapaz, que naquele momento passava por ali com o animal em colo porque tinha esquecido o lanche do filho, mas na verdade ele já havia comido porque ele é uma daquelas crianças mal criadas e rechonchudas que arranca os cabelos de qualquer babá? Uma terça-feira nublada que a cidade rogava uma chuva refrescante, a ventania era escassa e todos se abanavam, tal calor fez ela sair com uma saia curta de pano leve e colorido, deixando suas pernas brancas como um sorriso, destacarem seus passos rápidos no concreto escuro, vai ver foi isso que chamou a atenção do rapaz, pois ele sorriu de forma automática quando eles cruzaram o olhar. Naquele momento eles se conheceram. Eles já se conheciam, pois quando ela passou por ele, naquela via de movimento livre, ela respirou fundo como se a saudade açoitasse sua memória. Ele não conseguiu terminar o caminho, não, não. Até pensou em desistir de ir atrás da moça que já não tinha pressa, ela aguardava a chegada dele. Mas por que ela não voltou? Por que ela não parou ou sequer fingiu que esqueceu algo só para olhá-lo por mais uma vez? Ela apenas continuou. Passos calmos, sua mão lia as paredes de folhagem impregnada em seu caminho, ela sabia o que ia acontecer. Sabia! Ele correu de volta. Não a chamou, não gritou pare, aproximou-se perdendo velocidade, como se estivesse atrasado para o momento deles. Ameaçou pegar na mão dela, mas ela se virou no momento exato de deixá-lo constrangido. "Eu... eu te conheço, não é?" Ele perguntou ofegante. Vi um misto de nervosismo com ansiedade nas palavras que escorriam pelo sorriso incontrolável. "Eu acho que não..." ela respondeu, mas não queria dizer aquilo, queria ter certeza do que não sabia. "Ah... tem certeza que não?" tentou ele. "Não." confirmou ela com um sorriso tímido. "Não de: Não tenho certeza. Ou, não de: não te conheço?" Ele sorriu. O rubor se fez nela antes dele pegar em suas mãos. Eles me olharam, e pela primeira vez me senti em físico.
Olhei para ele, fiz sim com a cabeça, olhei para ela e sorri complacente. Esse foi o meu aval para o destino. Se algo além da sensorialidade fosse necessária, confirmei com meu gesto. E como tenho o poder de instrução e julgamento proferido por eles, admiti a escolha de ambos. Eles se conheciam. Eu os não conhecia, mas não era necessário. Quando as coisas tendem ao acontecimento, o universo se alinha, o mundo acorda diferente, as horas milimetram-se ao espaço, a sincronia do acaso acontece. Destino e Acaso se fazer em mútuo e complexo ato-fato, ação-reação, sorriso-sorriso. Eles se entreolharam, e seguiram juntos pelo caminho dela, sem mãos dadas, sem se importarem com o barulho dos carros, sem serem atormentados pelo mormaço do nublado. O mundo tinha voltado ao estado comum, tédio. Porém, em poucos passos dali ouvi a risada dela entre as palavras dele, vi um casal se formar, vi a vida acontecer, vi a chuva cair naquele fim de tarde como um evento para unir os dois depois de uma corrida de fuga sob os respingos.
 Era mais uma terça-feira, estava muito cansado, mas minha alma descansou.   
  






Oração

Olá,
como vai?
Espero que estejas bem.
Sim,
espero com toda sinceridade.
Entre e fique à vontade.
Vamos,
não tenha medo.

Vamos logo,
não temos tempo.

Rápido!

Pronto.
Agora me dê essas malas.
Isso mesmo.
Vou guardar essas bagagens de vida falida no armário.
Você quer desocupar os bolsos também?
Seria bom.
Certo,
deixarei suas falsas expectativas aqui na mesinha de centro.
Viu como está mais leve?
Consegue sentir o corpo sem as cobranças dos olhares dos outros?
Pois é. É bom,
não é?
Mas aproxime-se,
vamos.
Venha comigo,
siga-me.
Vamos!
Já disse,
não tenha medo.
Ah! E também não faça essa cara de timidez.
Segure minha mão,
tome.
Sinta. Viu?
Também estou gelado.
Mas sabe porquê não consigo parar um só momento?
Não sabe?
Bem,
desde que você chegou aqui achei que já estivesse pronto.
Mas não tem problema.
Não, não.
Porque eu já tenho tudo planejado. Não se preocupe.
Rezo pra que goste do que te preparei.
Você está pronto?


Então,
vem comigo que no caminho te explico.

O mesmo time

Imagem de AmalasRosa Converso com um controverso. É difícil no começo, depois se torna divertido, mas agora é só um monte de repetição. Repe...