segunda-feira, 13 de maio de 2013

Insônia


Insônia, companheira silenciosa
Madrugada, silêncio, pensamentos
A noite parece não ter fim
Minhas divagações também não
Já me acostumei com tua presença
Já foste meu terror, meu pesadelo acordada
Hoje, madrugada, és minha companheira
Diante de ti, já não me aterrorizo
Mas viajo nos pensamentos e fantasias
És a inspiração dessa aprendiz de poetisa.

-Pollyanna Alencar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Margeando

Photo by @beholdvoid Amarrar o tênis sempre me causa aflição, fica uma ponta grande e outra pequena. Lembro de deixar de ir à lugares por co...