quinta-feira, 27 de setembro de 2012

CID-10


Turvo-me aos meus sentimentos
E me questiono surpreendentemente
Quem eu sou?
Por que estou aqui?
Por que você me olha assim
Como se eu não fosse nada?
Gesticulam os meus dedos,
Sinto-me tremulo, não é o frio!
Estático por algum momento,
Olhos me vigiam de longe
Eu posso sentir de perto,
Bocas que zombam de mim,
Mas a vida não acabou
Este pobre coitado
Que anda atrás de mim,
Para onde vai?
Que fazes por aqui?
A vida te trapaceou,
Olha pra mim, não estás sozinho!
Surpreendentemente sigo teu caminho,
Não vai me dizer que ela te deixou,
Por este mesmo motivo
O álcool é meu amigo,
Mas podemos superar juntos
A tristeza da falta de alguém,
Descermos e subirmos escadas
Passear ao parque
Jogar conversas fora
Não importa se estão nos vendo
Sempre caçoam de nós,
Por causa dela, engraçado!
Tenho a impressão de que grito
Mas ninguém ouve, ou finge não ouvir...
Esta noite quero conversar com meu travesseiro...
E debaixo do meu cobertor, amigo...
Sozinho. Desde que ela me deixou,
Acontece-me estas coisas,
Nem me conheço mais,
E às vezes me vejo parecido com você.


     


     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Já é hora

Imagem por HELLO KACZI Sim, acabamos de chegar em dezembro. Não parece, mas novembro correu como uma tempestade. Parece que esse ano durou t...