quarta-feira, 28 de março de 2012

Me Fuma



Hoje quis fumar o meu cigarro
Mas em manifestação clara
De fraqueza, o cigarro é que me fumou.


Não tenho filtro,
Sou 100% consumível.
Fuma-me até ao fim.


Sinto o alcatrão no coração,
A nicotina nos pulmões,
O peso na consciência!


Consome-me até ao fim.
Não deixes nada.
Não tenhas misericórdia de mim.


Cigarro que me fumas,
Concentra-me todo em ti.
E a seguir manda-me ao chão.


Quero ser objecto fumado
E esquecido na calçada,
Lembrança inútil e perdida.


Obedece à minha ordem, cigarro!
Hoje será o ultimo dia
Das nossas tristezas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As leituras da lista

Arte: Comfort Zone by Chantal Horeis ou @chantal_horeis A lista de leituras deste ano foi composta, quase que exclusivamente, da...