quarta-feira, 28 de março de 2012

Cigarro


Vai, me passa o cigarro
Deixa o meu peito tragar
A fumaça de um amor
Que acabou de se dissipar

Agora, me deixa o isqueiro
No fogo, eu talvez esqueça
E o fulgor dos meus olhos
Nas cinzas desapareça.

Mas pra não deixar tua casa
Com meu cheiro de cigarro,
Me deixa do lado de fora
Só um cinzeiro de barro...

Pra cada tragada que desça 
Deixo o pulmão gretado
Tentando fazer que ele aqueça
O meu coração congelado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ultimo suspiro

  Imagem por breezeh ou @briscoepark Navegar pelas redes sociais em tempos de pandemia é um caminho tortuoso. No começo, entre os três prime...