quinta-feira, 31 de março de 2011

Björk



Björk Guðmundsdóttir [ˈpjœr̥k ˈkvʏðmʏntsˌtoʊhtɪr] (Reykjavík21 de novembro de 1965), conhecida somente por Björk é uma influentecantora e compositora, vencedora do prêmio Nobel Da Música (Polar Music Prize), sendo também atriz, instrumentista e produtora musical. Já lançou oito álbuns de estúdio e duas trilhas sonoras.
Seu estilo musical eclético alcançou o reconhecimento popular, e este inclui rockjazzmúsica eletrônicaclássica e folclórica. Sua voz também tem sido aclamada por suas qualidades distintivas.
Seus singles da década de 1990, "It's Oh So Quiet", "Army of Me" e "Hyperballad" foram estabelecidos no Top 10 britânico. Sua gravadora, One Little Indian, relatou em 2003 que ela tinha vendido mais de 15 milhões de álbuns em todo o mundo. O seu trabalho tem sido aclamado pela crítica. Ela ganhou quatro prêmios BRIT Awards, quatro MTV Video Music Awards, um MOJO Awards, três UK Music Video Awards e, em particular, ela recebeu, em 2010, o Polar Music Prize da Royal Swedish Academy of Music, em reconhecimento por sua "música profundamente pessoal e letras de músicas, seus arranjos precisos e sua voz única".
Além disso, Björk foi indicada para 13 prêmios Grammy, um Oscar e dois Globos de Ouro. Por sua atuação em Dançando no Escuro, Björk ganhou o Prêmio de Melhor Atriz em 2000 Cannes Film Festival. Ela foi classificada em #36 no VH1's "As 100 Maiores Mulheres do Rock and Roll" e #8 na MTV "22 Melhores Vozes na Música".

Inveja


 Uma das coisas mais repugnantes que eu considero como defeito da personalidade humana, é a inveja. No grau mais elevado deste pecado capital, a inveja se torna obsessiva e destruidora, podendo assim, ser mais egoísmo do que a própria inveja.

 Inveja é um sentimento de aversão ao que o outro tem e a própria pessoa não tem. Este sentimento gera o desejo de ter exatamente o que a outra pessoa tem (pode ser tanto coisas materias como qualidades inerentes ao ser)e de tirar essa mesma coisa da pessoa, fazendo com que ela fique sem.

A inveja é originária desde tempos antigos, escritos em textos, que foi acentuado no capitalismo e no darwinismo social, na auto-preservação e auto-afirmação, a inveja seria, popularmente falando, a arma dos "incompetentes".

Numa outra perspectiva, a inveja também pode ser definida como uma vontade frustrada de possuir os atributos ou qualidades de um outro ser, pois aquele que deseja tais virtudes é incapaz de alcançá-la, seja pela incompetência e limitação física, seja pela intelectual.
 Embora todo ser humano, em algum momento de sua vida tenha esse sentimento, seja ele latente ou oculto, é possível você transferir ou viabilizar de uma maneira que não os torne perversos. Conheço muitas pessoas que são tão invejosas que perderam sua individualidade, tendo como padrão de personalidade o 'copiar', o interesse pelo outro, a pura inveja de ter, de ser, e de até sentir, mas isso não os tornam desprezíveis ou exclusíveis. Todo ser é passível de transformação, seja de forma externa (com a nossa ajuda) ou interna (sentido empírico).

Pride Yourself.



Tão sensível!
Tão forte!
Com tanto calor!
Mais que sarcástico
Simplesmente Fantástico;
A Veracidade
A Aglomeração
De um povo feliz!
Alegre e com competência…
Suficiente pra mostrar sua capacidade
Em se impor…
Saltar o coração de quem os vê;
Mostra sua capacidade em se assumir
Orgulho do que é…
É ser e mostrar!
Fazer milhões de pessoas se unirem
Por única causa…
Auspício de todos
Vedes como é colorido e rigoroso
Nosso símbolo…
Todas as cores reunidas
Em único amor;
Em ser gay!
Decadência de teu preconceito;
Acreditamos nesta
Causa inerente,
Ser seu objetivo
E seguir sempre adiante…
Com o coração colorido…
Da nossa felicidade;
Em criar e ser…
Verdadeiros artistas
Refugiam-se perante
A este paradoxo.
Alegre é quem é…E não o esconde;
Tristes são o do tal preconceito
Feito só de receio.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Pausa para o café

Quando se vive num corre-corre de atividades, sejam elas profissionais ou não, quando você pede que o dia tenha umas 30 horas, para que além de tudo que você faz, você possa parar e fazer algo que você aprecia. Ter um tempo para nós mesmo é muito bom, damos muito valor quando finalmente conseguimos fazer de uma tarde, uma noite, ou até uma dia inteiro, fazer algo de nosso deleite. 

Correr na praia, fazer compras, namorar, ir ao salão de beleza, sair com os amigos para um barzinho, dormir 12 horas seguidas... não importa o que você faça, até o fazer nada é muito importante nessas horas. O que vale é descontração, é se distrair, respirar. Ter uma pausa numa vida agitada é crucial para que a pessoa não enlouqueça, não fique estafada  (nunca entendi essa palavra/expressão em português), não dê um Tilt e faça você jogar tudo pro alto.

Existe mil meios para que possamos fazer uma pausa breve durante o dia, mesmo que seja uma pausa para um café no meio do corre-corre. É possível sim, assim como ler algo interessante num jornal ou revista, fazer uma ligação para alguém especial o só mandar um sms, essas coisas funcionam se você souber administrar seu tempo, se você consegue ser racional e organizar sua agenda, se consegue ser criativo e se virar nos 30.

São poucas grandes coisas e muitas poucas coisas que podemos fazer para ter o mínimo de espairecimento mental, uma limpeza rápida de fluxo, uma respiração profunda na hora do rush. Sempre há algo simples que você pode fazer. Pense nisso! #fikdik


Cansou de tentar amar? Ainda resta algo que se pode fazer!



Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição. Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue;outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés. Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho...o de mais nada fazer.
Clarice Lispector

Ego(...)



Muitos autores dedicam-se ao estudo do ego procurando estabelecer as diferenças entre o ego, enquanto instância psíquica e o ego como pessoa, como “eu”, como objeto de amor para o próprio indivíduo, investido de libido narcísica. O ego possui um conceito muito estreito com o conceito de consciência.

O ego é uma instância psíquica como o id e o superego. Do ponto de vista tópico, a psicanálise refere-se ao ego como mantendo uma relação de dependência com as reivindicações do inconsciente e com a censura exercida pelo superego e pela realidade, tendo uma autonomia relativa. Freud define o ego sob o ponto de vista dinâmico como defensor da personalidade, na medida em que aciona os mecanismos de defesa, que impedem que conteúdos inconscientes e ameaçadores passem para o campo da consciência.

Mas qual seria então a personalidade do meu Ego? Entender é diferente de sentir, como sabemos muito bem no amor, mas quando não sabemos diferenciar o id, superego e o ego fica muito difícil saber quem você é por dentro. Não muito distante disto vem meu egoísmo, no qual não sei em qual das 4 camadas da minha personalidade está mais presente. Seja ele de qualquer modo o egoísmo impera de forma objetiva e taxativa, variando apenas de formas de proceder e causar.

Valendo-se o superego como pacificador de minha mente, líder da minha hierarquia psíquica. 
O superego divide-se em dois subsistemas: o ego ideal, que dita o bem a ser procurado; e a consciência moral (al. Gewissen), que determina o mal a ser evitado.
O superego tem três objetivos:
  1. inibir (através de punição ou sentimento de culpa) qualquer impulso contrário às regras e ideais por ele ditados (consciência moral);
  2. forçar o ego a se comportar de maneira moral (mesmo que irracional) e
  3. conduzir o indivíduo à perfeição - em gestos, pensamentos e palavras (ego ideal).

O id (Ele) não tem contato com a realidade, e uma satisfação na fantasia pode ter o mesmo efeito de atingir o objetivo através de uma ação concreta. O id desconhece juízo, lógica, valores, ética ou moral, sendo exigente, impulsivo, cego, irracional, antissocial, egoísta e dirigido ao prazer.
id é completamente inconsciente. Conheceu meu id? Então sabem de quem falo, vê se não se encaixa direitinho na descrição deste "ser". Depois dizem que eu invento coisas...vai entender né?!

Hot Alternative Chip




Hot Chip é uma banda britânica de electropop formada em 2000. Como exceção de Al Doyle, de Leeds, todos os demais integrantes são de LondresInglaterra.

A banda já fez muitos shows, inclusive com aparições nos festivais GlastonburySónar da Espanha, Big Day Out e também muitas turnês em território americano e europeu nestes últimos três anos.
Em 2006, lançaram dois singles, "Over and Over" e "And I Was A Boy From School", que ficaram muito bem posicionados em diversos rankings musicais. O álbum The Warning foi elogiado pela crítica e pelo público, ganhando uma indicação par ao prÊmio de melhor álbum de 2006 no Mercury Music Prize do Reino Unido. A canção "Over and Over" foi eleita o melhor single de 2006 pela conceituada revista britânica NME.
O primeiro álbum da banda foi lançado pelo selo indie Moshi Moshi Records. Agora a banda é contratada da DFA Records, capitaneada por James Murphy, líder do LCD Soundsystem.
Em 2009, o grupo foi indicado para o prêmio Grammy de melhor gravação de dance music pela música Ready For The Floor do álbum Made In The Dark.

Gosto desta banda pelo som alternativo, além das letras que são difuso-constantes. Um som tranqüilo e conturbado de sentido estrito, amplo, médio ou exagerado. Mando um #curti.

sábado, 19 de março de 2011

Lua Cheia 125%





A super Lua Cheia no perigeu dura a noite toda. É só esperar a Lua nascer e acompanhá-la até o outro lado quando o dia clarear.
Mas você já deve ter notado que quanto mais perto do horizonte, maior é a sensação de tamanho da Lua. Não é mesmo?

Isso é, na verdade, uma ilusão. E ocorre porque a Lua, por trás da paisagem superficial terrestre, parece ser muito maior. É uma interpretação subjetiva do nosso cérebro. Mas o efeito prático é bem bacana! A foto acima que mostra a Lua Cheia nascendo por trás do templo de Posseidon em Atenas, Grécia, é bem didática e comprova o que estou dizendo. Em comparação com o templo a Lua parece ser gigante, não é mesmo?

Na verdade, quando a Lua está a 90 graus do horizonte, no ponto mais alto do céu, ela fica ainda mais perto de um observador O na superfície da Terra. Para entender melhor como pode ser isso, veja a ilustração a seguir que, de propósito, está fora de escala.

Enquanto isso no lustre do castelo... tento arrumar pessoas para fazer o deslumbre lunar de hoje. É importante pra mim essas coisas naturais, não sei para você. Gosto de contemplar a plenitude do criador, desde um inseto até os astros.

Surf Music


 Que eu curto surf songs todos já sabem, por isso postarei umas bandas e músicas maneiras.
De início todo mundo curte, de um brasileiro Armandinho, até um estrangeiro Jack Johnson. Não importa qual seguimento você use pra ouvir, ou os motivos que se vá até o mar, se é uma coisa tranquila, poética, 'regueira' ou só nostálgica.


Gosto de ouvir: 


  1. Armandinho
  2. Bonde da Stronda
  3. Colbie Caillat
  4. Donavon Frankenreiter
  1. Forfun
  2. Israel Kamakawiwo'ole
  3. Jack Johnson
  4. Jan And Dean
  1. Jason Mraz
  2. Natiruts
  3. Rub
  4. Sublime
  1. Surfaris
  2. The Beach Boys
  3. The Beautiful Girls
  4. The Trashmen

E milhares de outras bandas que pego do site http://www.surfmusic.com/index.htm

Todas tem um impacto diferente, e sempre que ouço alguma música a sensação também muda, assim como a onda do mar que nunca é a mesma.

Vamos almoçar juntos?

Neste clima de verão, carnaval e fim de férias. A opção de encontros fica um pouco melhor. Isso se você for como eu, tradicionalista.
Para quem gosta de curtir uma boa comida e bons momentos, seja sozinho, em casal ou grupo, uma boa opção são os restaurantes da orla. Orla mesmo, ou proximidades.
Aproveitar o mar de cores azul e verde, com uma ventania refrescante e uma comida extraordinária é de muito bom gosto.
A minha viagem gastronômica por Maceió me faz querer comer sempre fora de casa e com pessoas especiais. Conhecendo muitos lugares e pessoas é possível montar um tour memorável.

Alternative I'm


 Um dos conceitos mais difíceis de compreender é: o que é ser Alternativo?

De acordo com o Wikipédia: Rock alternativo (também chamado de música alternativa) é um género de rock surgido na década de 1980 que se tornou bastante popular na década de 1990. Consiste de vários subgéneros oriundos da cena musical independente como grunge e britpop, que estão relacionados por sua influência em diversas escalas com o punk rock e que não se encaixavam em classificação alguma conhecida na época. Às vezes era usado para rotular artistas undergrounds dos anos 1980 e bandas de rock and roll dos anos 1990. Mais especificamente, englobava a maioria dos géneros que surgiram nos anos 1980 e que tornaram-se conhecidos nos anos 1990, como o indie rockpost-punkrock gótico e college rock. Apesar do género ser considerado rock, muitas bandas são influenciadas pela música de seus respectivos países, sendo o folkreggaeeletrónico e jazz facilmente encontrados. Portanto, duas bandas de rock alternativo não têm necessariamente características em comum, sendo o termo usado para qualquer som que se aproxime do rock, mas que, não se encaixou em nenhuma de suas vertentes.


 Antigamente eu tinha um imagem meio hippie/indie do alternativo, mas hoje vejo que qualquer coisa pode ser alternativo, principalmente aquela no qual não se pode definir. Seria então um definição para o não definido? 

1-Músicas alternativas

Algumas bandas deste movimento foram de grande influência em nossa cultura, segue abaixo alguns do que considero os mais mais. Vê se reconhece algum:

  • Tom Waits

  • Red House Painters

  • American Music Club

  • Julian Cope

  • Mark Lanegan

  • The Fall

  • Vic Chessnut

  • Nick Cave and The Bad Seeds

  • Guided By Voices

  • Nirvana

  • PJ Harvey

  • Mudhoney

  • Elliot Smith

  • Belle and Sebatian

  • The Breeders

  • Afghan Whigs

  • Giant Sand

  • Weezer

  • Beck

  • Cracker

  • Flaming Lips

  • Pavement

  • Sonic Youth

  • Dinosaur Jr.

  • Sebadoh
  • 24 Motivos para ir a uma balada gay

    1 - Em primeiríssimo lugar: são as melhores pra dançar. Tanto pela música quanto pela animação da pista.
    2 - Você nunca vai precisar pagar o mico de inaugurar a pista. Festas gays já estão sempre bombando ainda que você chegue cedo. Eles começaram a festejar há mil anos e nunca mais pararam e nem vão.
    3 - Festas gays também nunca acabam, apesar de acabarem sempre em algum lugar ainda mais maluco.
    4 - Só os gays entendem que dançar como uma devassa louca é super divertido e não quer dizer que você está a fim de sexo (muito menos de ser tratada como uma devassa louca).
    5 - Por mais ridículo, insano ou indecente que seja qualquer ato que você cometer, terá sempre alguém fazendo algo pior.
    6 - Se você estiver linda vai causar inveja ao invés de desejo. No fundo, é o que toda mulher prefere.
    7- Você não precisa ficar na dúvida se o cara é gay. Ele é.
    8 - Se um cara falar que é macho, acredite. Precisa ser macho para ir a uma balada gay.
    9 - Homem idiota briga pra mostrar que é homem (e idiota). Como ali ninguém quer mostrar nada e só se divertir, dificilmente sai porrada. (No máximo uns tapinhas na cara interrompidos quando toca Madonna ou Justin).
    10 - Caminhar um metro sem ter cabelos puxados, ombros cutucados e cintura beliscada é o sonho de qualquer mulher bacana (se você fica contente quando mexem com você na obra você não é bacana e, pior, precisa urgente de um nutricionista).
    11 - As acéfalas-nasaladas-alisadas-caçadoras-de-namoradinhos-ricos-que-fazem-o-símbolo-de-paz-e-amor-de-ladinho-para-fotos-de-blogs-de-balada-playba só vão nesses lugares quando estão super deprimidas e costumam vomitar em suas botas de camurça e franginha (e sola vermelha) inviabilizando as mesmas (e você, uma mulher bacana, injustamente mal tratada no colégio por não ser exatamente linda, pode se vingar delas).
    12 - Às vezes, por alguma razão obscura da psique feminina, a sensação de dançar encoxada por doze amigos sarados, bem vestidos, cheirosos e felizes, melhora muito a auto-estima, ainda que na cama você termine sempre cercada unicamente por farelos do pacote de Amanditas.
    13 - Estar num ambiente cheio de homens lindos que não te desejam e A CULPA NÃO SER SUA é libertador.
    14 - Ao invés de sair da balada certa (mais uma vez) de que o pai dos seus filhos definitivamente não está numa balada, você já chega na balada com essa certeza. Poupa um tempo precioso.
    15 - É badala pra exorcizar ao invés de ficar pagando de gata. E pagar de gata (empina bunda, chupa a barriga, arrebita os peitos, equilibra no salto, faz cara de mistério) dá gases.
    16 - Quando você não quer agradar os homens, acaba agradando. Os poucos e valentes (e descolados!) machos da casa certamente vão reparar positivamente em você.
    17 - Toca Friendly Fires, Beck, Amy Winehouse, Basement Jaxx, Daft Punk, Hot Chip, Justice, LCD SoundSystem e o melhor do rock indie do momento numa versão remix feliz, não se mate ainda.
    18 - Seu ex namorado não vai estar lá, o que significa que você não vai voltar pra casa querendo morrer (ou com ele, o que é pior). E se ele estiver lá, baby, tá tudo explicado.
    19 - Se todo mundo dançar moooito e começar a suar, bicha não fede. No máximo cheira almiscarado.
    20 - As poposudinhas de calças apertadas estão seguras: ninguém vai passar a mão na bunda delas. (ou vão mas é pra descobrir se a etiqueta da Diesel é falsa, ou seja, é pro bem).
    21 - Não tem essa coisa machista tosca de mulher até meia noite paga menos. Você está lá como um deles, ou vice-versa (fiquei confusa agora).
    22 - Gastar uma fortuna em roupas, sapatos, brincos, maquiagem e cabeleireiro finalmente poderá ser valorizado. (já a calcinha você pode botar aquela de algodão com o elástico esgarçado mesmo, bem mais confortável pra se acabar de dançar).
    23 - Se um cara pedir seu telefone, ele com certeza vai ligar no dia seguinte. Gay adora manter contato (ainda mais se o seu primo tiver ido junto com você).
    24 - Se você encalhar na balada, tudo bem: todas as mulheres a sua volta encalharam também! 

    FONTE: TPMulheres

    quarta-feira, 16 de março de 2011

    Olha mãe, sem as mãos!


    Ter responsabilidade nos atos não é o mesmo que ter em pensamentos. No plano das idéias tudo fica mais complexo e distante, inclusive a bipolaridade contínua que nós sofremos. Todos nós temos altas variações de humor, seja por motivos internos ou externos. 
    Para não ser contra a lógica, obviamente eu tenho vários loops de humor. Looping emocional pode ser rápido ou longo, dependendo os motivos que acarretaram na drástica mudança. Quando é uma reviravolta positiva é bem aceito, mas quando é um surto depressivo, não é bem vindo no meio social.
    Conviver é aprender isso é fato! Logo respeitar os pensamentos e espaço deve ser prioridade, se você souber chegar e dar um força para um looping emocional positivo, dou valor. Porém, se você não sabe como agir, melhor deixar quieto ou ir aos poucos, pois o terreno é confuso tanto pra um quanto para outro.

    terça-feira, 15 de março de 2011

    Crônico


    Ter uma doença crônica é se superar todos os dias. É ser solitário e companheiro com a família e amigos.

    Dizem que nunca estamos sozinhos, pois temos Deus do nosso lado. Quem tem alguma doença crônica, tem além de Deus, seu próprio fardo.
    O nível e potencial da doença, faz com que vejamos nosso social de uma maneira bem peculiar. Dependendo da doença, interagir socialmente não é tão simples. Podemos ter medo, vergonha, desconforto e mil outras coisas que nos deixam a pensar se vale mesmo a pena. 

    Relacionar com alguém portador não é uma tarefa fácil, é uma demonstração de amor incondicional. Fazer o portador se sentir confortável com seu problema, ou então você ser o único que o apóia, é um trabalho desgastante e na maioria das vezes muito simples de desistir.

    Tento não ser mutilador de sonhos, mas não posso deixar de lado o que eu carrego. Sou um portador.
    Meu problema é ter asma estágio 3, aquela que a pessoa fica para morrer mesmo, a respiração apita mais que trem das 11 e taquicardia é a mesma de um maratonista. Somado a isso tenho também de quebra alergia a maioria das coisas que o homem inventou, quase tudo sintético e de cores ou cheiros fortes.

    Tento não demonstrar meus problemas de saúde, mas cedo ou tarde eles vêem a tona. E quando isso acontece e os outros não estão preparados para enfrentar a situação é terrível, dá pra sentir o cheiro do medo e o olhar de preocupação e pena é devastador. Sinto-me um estranho que não deveria ter saído de casa. Se sentir indiferente com todos dando atenção é algo indescritível.

    Relacionamento quando se é portador é muito difícil, é mais um desafio próprio do que pro outro que está chegando agora. Pensamos em tudo desde a simples coisa, até num futuro bem distante. O que menos queremos é deixar você preocupado conosco, por isso temos sempre essa alegria e determinação que culmina em lágrimas de revolta contra nosso sistema imunológico ou nossa genética.

    Carregar vários comprimidos, soros e xaropes para lá e para cá pode ser estranho para uns, exagero para muitos e vital para os poucos que sofrem. Torna-se comum a prática de conhecer remédios, doenças e problemas de saúde em geral... quantos conhecemos na jornada de tratamentos e internamentos? 

    Acho que meu maior medo é deixa alguém que amo me velando num leito qualquer. Ser crônico é ver quem a gente gosta sofrer pela gente. Me doía muito quando eu era pequeno e ficava internado por semanas, via meus pais super preocupados comigo, parecia que o mundo deles lá fora parava e o meu só com pessoas vestidas de branco que iam e voltavam com dosagens e injeções comandavam o relógio. O tempo não corria, as olheiras eram enormes as rezas eram costumeiras e tudo foi se tornando habitual. 

    Quando fiquei maior, prometi a mim mesmo que isso só iria acontecer nas ultimas hipóteses e assim, fiquei internado por vezes desde que consegui maioridade (16 anos), e raramente meus pais sabiam, mentia dizendo que ia dormir na casa de um amigo, que ia viajar para longe, mas muitas vezes estava ali no hospital próximo tomando altas dosagens de medicação contra meu mal pessoal.

    domingo, 13 de março de 2011

    Ainda não pronto, desculpa.

    Definitivamente cai na real. Mentira, nem sei o que aqui é real. Apenas tive uns pensamentos românticos e individuais. Daqueles que criamos para hipóteses de fracassos e sucessos, as variantes dos porquês. Entre todos esses pensamentos vi meu orgulho e o competitivo imperar mediante alguns fatos e em outros vi minha insensatez latente.
    Não remoendo o passado, mas dando um rótulo aos modos de agir, percebi que eu não estou pronto para um relacionamento, um namoro ou qualquer coisa que você use como título de pessoas juntas com intuito de criar vínculos.
    Descobri que, se eu não for o Alfa da história, seguido da minha prepotência, não consigo direcionar meu gostar para algo útil, e desta maneira acabo machucando os sentimentos de quem está tentando entrar na minha vida. Pior que não consigo parar, quanto mais me afasto parece que me aproximo mais... como se nadar contra a corrente fosse algo não optável.
    Mas quem ocupa o trono tem culpa, do mesmo jeito de quem o crime oculta. A questão fatal é se isso seria apenas uma forma de você agir, se seria apenas com ela, ou se sempre você fez isso. Padrão. É algo que eu tento desvendar para que eu possa quebrar essa P.A. e se eu não conseguir fazer isso vou com certeza passar muito tempo em pleno desconforto emocional. Não sou eu quem dita as regras do jogo, eu quero apenas jogá-lo, sem trapaças e sem truques. Um jogo honesto de amores e paixões, braços e pernas... tudo isso adjunto a momento felizes,tristes, furiosos, dramáticos e de fundo querer memorável.
    Ainda assim, não sei amar.

    Casa Comigo?

    Impossível eu não retomar o assunto mais discutido em toda a história da conversação, o sexo.

    Desta vez tenho só dois milhões de comentários, um básico vocês já conhecem que é o "Sexo é fundamental", e o outro é o "Sexo seguro". Então vou discorrer os fatos para depois dar um loop e voltar a falar de nada, como eu sempre faço.
    Sabemos que na regra dos encontros casuais com tendências, o velho encontro de casal, não se pode retroceder no quanto vocês já avançaram na intimidade, mas também não se diz que é obrigado ir pro Oba-Oba no terceiro encontro. Porém, seguindo a regra, o Oba-Oba É no terceiro encontro, no qual você vê se engata ou não um pré-namoro. Isso se o contato entre o casal for grande, se não essa temática de encontros se prolonga por semanas ou acaba alí mesmo.
    Ok, visto isso vamos para a prática:

    1- Quando você está saindo com alguém, mesmo que o clima esquente, sempre é possível brecar algo que está prestes a acontecer. Sendo bom ou ruim, a decisão cabe a quem ainda está em dúvida. Mas e se você estiverem de fato gostando um do outro, mas não sabem como proceder? Será que após o terceiro encontro tudo funcione, ou será que as coisas vão se complicar mais ainda? Advinha o que aconteceu comigo?!
    Sim, as coisas se complicaram, isso tudo só porque eu me apego fácil as pessoas, principalmente aquelas no qual gostam de pisar, humilhar e rebolar em cima da mesa. Como era de se esperar, quando eu fiquei muito na pior o Fireman veio com tudo e tomou posse de mim. Errou você que pensou que ele causou, simples e rápido ele reverteu o quadro de solidão inerte para egoísmo dinâmico. Como assim Bial?
    Sempre que estamos para baixo e alguém implorar pela nossa melhora, a auto-estima só realmente levanta quando nos damos valor, ou seja, quando o egoísmo impera no íntimo. Não digo o egoísmo mesquinho, mas aquele agradável no qual colocamos nós mesmos como princípio de felicidade. Quando você sente que a magia voltou, que você está confiante e tudo pode, é esse tipo de egoísmo que eu acho legal. Não sei se tem um nome pra isso, deve ter.
    2- Quando as coisas acontecem de um modo legal, tranqüilo e há fluição de ambas as partes, é certo que terão vários momentos íntimos e disto eu tenho certeza que acontecerá. Não obstante ter segurança no ato praticado, assim, tendo responsabilidade e dignidade acho sadio e dou valor. Como assim Bial?²
    Namorar ou ficar fixamente é o mesmo que dizer "sexo sempre", ou em partes. Falo no sentido amplo viu, claro que há vários casos que isso não importa, ou é tido como santuário corporal no qual será rompido com o matrimônio. Mas a lógica é que sempre que os dois quiserem nada mais justo que fazer amor com a pessoas que se está envolvido. Só não deixem que a cama fale mais alto que o sofá, mesmo que a química e física rolem muito bem, não é melhor que o carinho e companheirismo, e deste ultimo é que sinto mais falta.

    3- Casamento ou União Estável, é muito importante para pessoas da Camarilla que querem titulação, para nós Independentes isso é meio vulgar e desesperado. Um contrato social ou instituição social é acreditado por aqueles que vivem da crença. Para os intelectos mais abertos isto não vale se quer 1 euro. Não desconsidero nenhum destes dois compromissos, só não creio que um contrato/título mude a forma de você viver e respeitar o outro.

    Enfim, do que vale o título sem compromisso? Será mesmo que vale o relacionamento só pelo sexo? Será que vale você sair com alguém e dar todo o valor para mesma só para tê-la na cama e depois disso nem olhar para cara dela? Nos remetemos assim a post's antigos sobre nossos valores e dissabores.

    O mesmo time

    Imagem de AmalasRosa Converso com um controverso. É difícil no começo, depois se torna divertido, mas agora é só um monte de repetição. Repe...