sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Adeus 2010

Faltando exatamente 30 minutos para 2011, começo a escrever meu ultimo post do ano.

Falando, após outras postagens, nada além da sensação de triste na no peito. Ouvir fogos na rua, ver shows, festas e mais fogos na Tv, internet e mensagens pelo celular.

Mesmo com uma agradável conversa com uma amiga de BH, continuo escrevendo no estilo emo. Sozinho, num quarto escuro com o Laptop no colo, ouvindo as 100 músicas mais deprê de todos os tempos.
Dispensei convites do Celebration e o Absolute [mega festas de virada], pois embora pensasse que iria trabalhar de 7 da manhã, mesmo não trabalhando não iria. Não ia conseguir vestir a máscara de encantador com pessoas que desprezo profundamente.
Não fui chamado para ir festejar na casa de nenhum amigo. Ninguém me ligou. Ninguém disse nada, fizeram nada, creio que nem pensaram em nada.
Achar que seria diferente seria, pensar em jogar na sena. Nunca fiz e provavelmente nunca farei. Não tenho rancor, nem se quer ligo para isso. Quando for diferente posso até ter motivo para pensar sobre. Só me sinto mal por Alguém que tenho apreço como Daisy Jorge, desejar profundamente um 'Feliz Ano Novo', e rebato como resposta um gélido 'Feliz?'

Tenho problemas.

Acredito que meus pensamentos não sejam vistos como uma coisa boa sobre mim, quem olha pra mim na rua diz: "Ou ele é louco ou um poeta depressivo." Acho que nenhum dos dois, acho que apenas não encontrei minha motivação, minha vontade de estar na multidão. Meu pedaço que completa o quebra-cabeça. Até então, em momentos outros e principalmente em um como este de agora, faltando poucos minutos para a grande virada onde todos festejam, até os que passam fome, nesses momentos continuo aqui. Sozinho.

Ouvindo Hallelujah de Jeff Buckley e saber que Daisy chorou ao ler "Lembranças" me entristece mais. Não escrevo para comover, escrevo para desabafar. Ninguém quer escutar o que tenho a dizer, meus problemas, minhas fraquezas... Só chegam a mim com problemas, com dúvidas e para eu resolver, dar uma luz... quem é minha Luz?
Ninguém responde minhas perguntas, ninguém comentar o meu errar... As lágrimas escorrem dos meus olhos e ao cair no papel transformam-se em palavras... singelas palavras, que as vezes fazem sentido, outras vezes são só palavras de alguém que grita por dentro pedindo... Socorro, me tirem daqui.

Para todos meus queridos íntimos leitores. Desejo um Ano novo melhor que o anterior e que seja assim como Daisy Jorge: Incrível, sincera e doce.

Obrigado.

Promessas

Fazemos promessas de ano novo, pois temos 365 dias de oportunidades de realização e 365 para dizer "Amanhã eu começo; Amanhã eu faço; Amanhã eu vou lá".

Não faço promessas, acredito que seja injusto comigo mesmo se soubesse no íntimo que não farei algo, mas direi a todos que farei para as pessoas acharem isso ou aquilo de mim. Pois, afinal ninguém vai te cobrar mesmo, não há cobrador diário de promessa de ano novo.

Serei eu mesmo sempre, não vou mudar meu caráter. Posso mutar meu jeito, meus ideais. Como mudamos de governo, de amores, de coisas que não dependam tão somente da gente.
Kurt do Glee, disse algo que tomo como verdade. Enquanto não encontramos o par ideal, temos que aprender a viver sozinho. Conheço pessoas que pulam de 'braços em braços' por não conseguirem viver sozinhas, por vezes se iludindo com amores fúteis ou irresponsáveis.

Se vejo que é válido arriscar é possível conseguir algo, como o carinho da minha tempestuosa família. Feliz Natal e Feliz Ano Novo, era algo tão particular entre minha mãe e eu, hoje estendeu-se entre meu sobrinho e meu pai.
Meu pai me disse em uma de nossas conversas secretas, que não sentia mais vontade de viver. Que sua motivação era apenas continuar com o trabalho enquanto estiver vivo e ver meu sobrinho crescer e minha mãe satisfeita com sua vida.
Existe algum tipo de promessa banal de ano novo que faça mudar isso? Não, não existe.
Algo que sobrará é a esperança de tê-lo novamente em cada novo dia, tentando re-ascender a chama da vida que se apagara deste meu ente querido.
Ouvir de outra pessoa um pensamento triste de sua autoria, é tão destrutivo... é tão massacrante... é tão... tão questionável. Pergunto-me todos os dias quais seriam seus motivos para dizer-me aquilo. Com tanto desafeto.
Prometo sempre, que no mundo de possibilidades que tenho em mãos, os meu motivos sempre serão meus, e o dos outros, sempre tentarei fazer deles, algo racional. Se eu não conseguir, fazê-lo-ei, de íntimo, memorável.

Onde estou. Estou.

Já imaginou quantos lugares incríveis existem no mundo?
Já imaginou as belezas naturais existentes e conhecidas no Brasil?
Já se viu querendo sumir?
O que isso tem haver?
Às vezes, não temos certeza se onde estamos neste exato momento, seria realmente o lugar em que deveríamos estar. Toda ação e escolha nos levar a uma situação completamente nova, nunca vivida, e uma reação totalmente oposta da original.

Logo quando estamos pensando em fugir, sumir ou só se esconder, pensamos no local mais agradável que conhecemos, ou desejamos. É fato que isso resolve, em algumas situações, mas e se você estive neste local onde se escondeu e ninguém consegue te achar? E se você não soubesse mais sair dele?

O que aconteceria com você? O que faria em meu lugar? Seria este o local mais desejado, também mais odiado?

Esqueço que mesmo o lugar mais bonito da terra, pode ser o mais feio também; Perspectiva deriva de circunstância e se se não for confortável, logo a perspectiva se dirá imperfeita.

Sorrisos

No ultimo dia do ano, nos deparamos com frases que são ligeiramente acompanhadas de "... ultimo do ano.", porém uma coisa que nós esquecemos, ou até mesmo não percebemos que é o dia mais feliz de todos.
Não temos medo, vergonha ou motivo algum para desejar um simples, singelo e sincero Feliz Ano Novo. Continuados com conversações sobre festividades, desejos de saúde, sucesso e paz... tudo isso num clima de filme, acho que se caísse neve seria totalmente filme.
Muitos sorrisos são descobertos nesse dia, como de um cliente daqui da loja que por mais rude, grosso e/ou seboso que fosse, de uma hora para outra era outra pessoa. Disse-me que sua mulher o deixara e com isso tudo ia mudar a partir dalí. Confessou-me também, que tudo que ele era, não passava aborrecimentos de alguém que massacrava-o dia após dia, e em 2011 ele finalmente ia ser feliz.
O clima de festa no ar não era o que motivava os transeuntes da minha rua, era algo maior. Era a esperança de dias melhores.
Apaixono todo dia por esta minha vida de experiências únicas e de poder ver todo dia transformações que deixariam o BIG BANG no chinelo. A transformação do taxista, meu cliente, só foi uma das mudanças que acompanhei hoje
Ao longo desse ano vi muitas coisas tristes e alegres acontecerem com as pessoas que depositam e mim, por poucos minutos, suas histórias de vida, suas dificuldades e suas conquistas. Poder compartilhar as lembranças delas e no fim dizer "Rezei por você. " - "Eu sabia que conseguiria." e as vezes receber frases como: "Obrigado, filho. Por ter acreditado em mim." ou então "Você é meu micro psicólogo." ou a coisa que até hoje não consigo esquecer de forma mais sincera de carinho, um toque tímido em minha mão, um aperto leve e um sorriso tênue desenhado por uma lágrima de felicidade de uma senhora que quase perdera sua fé.

Acredito que um balanço de coisas feitas e não-feitas esse ano hoje, no ultimo dia, não creio que sou capaz de fazer. Mas Obrigado, só obrigado.
O motivo do agradecimento é simples, obrigado por você existir.
Eu te amo do fundo do meu coração, você estranho que lê esse depoimento neste momento.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Look at the Sky

Umas das coisas que esquecemos quando estamos só, é olhar para o céu e observar as estrelas, a lua, ou até mesmo as nuvens e os raios do sol. Como sentar ao mar e observar o crepúsculo, ou então viajar ao alvorecer e sentir o dia acordando.
Fim de ano se aproxima, assim como o mais próximo Natal. Enquanto pessoas correm para comprar presentes, enfeites, pagar contas ou fazer provas finais, estou eu mais preocupado com meu futuro. Sei que enquanto tiver meus pais, meu objetivo será sempre o melhor, mas quando estou só não sei se conseguirei chegar na metade.
Aproveitando os Fireworks que ainda pulsam no meu pensamento, sinto hoje uma sorte enorme de crescer, moral e intelectualmente falando. Assuntos do coração deixo ao vento, assim como meu bolso, mas meus pensamentos estão fixos como concreto.
Uma boa chance de tudo mudar, é quando acreditamos que é possível, mas acontece que mesmo acreditando, falta o impulso para fazer acontecer, ou só tentar. A empolgação que habita em mim está tão reluzente quanto meu olhos vislumbrando essas estrelas de hoje. Não importa se não há estrela alguma, ou se aquele avião não era uma estrela cadente. Eu acredito e vejo o que eu quiser e hoje, eu vejo fogos no céu.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Firework's Feelings

O sentimento que senti no momento que a música me conduzia para o meu eu, era o mesmo que senti em 2006. Quando pela primeira vez, vi fogos de artifícios com amigos, num clima incrível. Acho que aquele ano foi um dos melhores da minha vida. Naquela noite de virada de ano, já no orla de Maceió, meus olhos brilhavam juntos com as explosões e luzes no céu, minha mão era segurada e apertada (quando confiamos em alguém e nada pode separar), todos se moviam de forma lenta e progressiva como numa câmera lenta. Me sentia leve e infinitamente feliz. Uma sensação única, guardada para sempre.

Fireworks com amigos, podem acontecer o tempo todo. Damos valor aos bons e maus momentos e todos eles vão ficar para sempre, seja em fotos, vídeos ou lembranças. Amigos vem e vão, mas sempre deixam algo conosco. Vamos ascender esses fogos e viver cada dia mais intensamente.

Fate's Fireworks


Ontem aconteceu algo interessante, vou contar 'o quê' e fazer as conexões:

Ontem eu trabalhei no turno da noite, logo quando eu tive uma pausa fui tomar banho e comer, daí bateu aquela solidão repentina. Fiquei um bom tempo observando o nada, imaginando mil coisas, inclusive perguntas pessoas no campo sentimental.

A tv estava ligada no canal multishow, e na programação do TVZ passava a música da Katy Parry chamada Fireworks. Ao ouvir as palavras de Katy, eu me arrepiei na hora! Aquela batida fazia lebrar os bons tempos que vivi com família e amigos, as frases tipo "Do you know that there's still a chance for you?" me fazia acreditar mais em mim. O clipe colorido e mostrando as possibilidades do mundo é incrível.

Não minto ao dizer que um lágrima de felicidade conseguiu escapar dos meus olhos, foi uma sensação incrível.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Sinta!

Se a vida às vezes dá uns dias de segundos cinzas
e o tempo tic taca devagar
Põe o teu melhor vestido, brilha teu sorriso
Vem pra cá, vem pra cá
Se a vida muitas vezes só chuvisca, só garoa
e tudo não parece funcionar
Deixe esse problema a toa, pra ficar na boa
Vem pra cá

Do lado de cá, a vista é bonita
A maré é boa de provar
Do lado de cá, eu vivo tranquila
E o meu corpo dança sem parar
Do lado de cá tem música, amigos e alguém para amar
Do lado de cá
Do lado de cá

Se a vida às vezes dá uns dias de segundos cinzas
e o tempo tic taca devagar
Põe o teu melhor vestido, brilha teu sorriso
Vem pra cá, vem pra cá
Se a vida muitas vezes só chuvisca, só garoa
e tudo não parece funcionar
Deixe esse problema a toa, pra ficar na boa
Vem pra cá

Do lado de cá, a vista é bonita
A maré é boa de provar
Do lado de cá, eu vivo tranquila
E o meu corpo dança sem parar
Do lado de cá tem música, amigos e alguém para amar
Do lado de cá

A vida é agora, vê se não demora.
Pra recomeçar é só ter vontade de felicidade pra pular

Do lado de cá, a vista é bonita
A maré é boa de provar
Do lado de cá, eu vivo tranquila
E o meu corpo dança sem parar
Do lado de cá tem música, amigos e alguém para amar
Do lado de cá
Do lado de cá
Do lado de cá

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

No way!

Ouvindo a eterna música Umbrella by Lush Club, bateu uma saudade das jovens noites que passava curtindo com amigos e familiares. Lembro-me de certa feita que ficamos 72 horas seguidas na melhor rave da minha vida. Creio que 60% das pessoas que conheço hoje, do mundo social/festas, conheci lá. Quem diria não é mesmo?
Natal se aproxima e com ele vem a Second Overparty e a aclamada Substation. Faz uma cara que não dou minha presença na sub. Contudo, se houver companhia acredito que o Noel Filho aparecerá por aquelas bandas ou beats.
Não bastando o carnaval que marca a saga do Fireman lembra? Tudo agora é tenso e friamente calculado, pois não há erro no quesito diversão. Disponibilidade garantida, falta a famosa força de vontade, ou algo que afaste a preguiça. Pode ser você me convidando, pode ser uma grana sobrando, pode ser eu mesmo pirando. O que realmente vai decidir é o dia X.
Pegarei umas folgas no domingo, para liberar energia. Enquanto isso, só vai no esquenta.

Caves/Rocks/Me

Me perguntaram uma vez se eu existia, pois na net pareço FAKE e conversando pessoalmente não sou nada do que dizem sobre mim. Pergunto a vocês que lêem meu diário virtual, Sou alguém tão flexível ao ponto de ser vários em um só? Ou será que as pessoas rotulam e não são capazes de sobrepor a realidade?
Cito sempre em meus conselhos que: "Vivemos num mundo de possibilidades", então, claro que, serei o primeiro a demonstrar quão possível é este mundo. Não se enganem, estou falando no contexto geral e não emocional.
Sempre que queremos aprender algo, procuramos logo seu conceito, qual seria o conceito pra mim então? Será que eu teria um? Será que conceito é realmente o que define algo?
Olha, não é sempre que faço isso, mas por hoje vou me classificar:
Apesar de nunca ouvir um comentário sequer sobre mim, além (lógico) os da minha mãe, então vou falar o que me vem de real. Sei que sou especial. Isso basta.
Não adianta você estabelecer parâmetros sobre alguém e depois chegar a dizer "Nossa","Eu nunca que esperava isso","É ele tinha cara que ia fazer isso","Ninguém nunca suspeitaria"... Vejo tanto isso aparecer nos telejornais que me faz parar pra pensar e dizer: Todo mundo muda o tempo todo, pra melhor e pior, por quê as pessoas ainda se fazem de tolas e se deixam enganar. Uma criança fumando cigarro comum foi o fim do mundo por semanas, uma bebê viciado em crack foi notícia de um dia. Agora pergunto quem dá a importância devida somos nós ou eles?
Cada um tem o mundo que vislumbra todos os dias de realidades diferentes. Somos como exploradores de cavernas, que por mais que saibamos que é uma caverna, nos encantamos ou nos amedrontamos. O que não podemos é esquecer que é uma caverna, e tudo pode acontecer, só não podemos deixar de explorá-la por temer o desconhecido, ou se deixar titubear pelo óbvio.
Vamos até o fundo do conhecimento empírico, científico e espiritual, e assim, quem sabe um dia diremos juntos: Aconteceu, mas sabemos como agir!

Yes blood, no heart.


Definitivamente percebi algo que já imaginava e criava teorias. Não tenho coração.

Lógico que não no sentido fisiológico, mas sim no emocional. Possível que esteja adormecido, esquecido ou até endurecido, ou qualquer outro termo com sufixo "ecido".
Que a verdade seja dita, não procuro relacionamento pois não acredito neles, sou simpático aos apaixonados e amantes, não creio que tudo seja ilusão.
Defendo a tese que cada um tem o coração que merece, apesar de raríssimas vezes achar que falta algo em mim, um pedaço, uma parte, um coração.
A vida torna as pessoas capazes de fazer qualquer coisa, (ambiente+caráter+possibilidade) fórmula que define bem o que você é hoje, ou até mesmo porque hoje você gosta de azul se ontem era verde. Esta mesma fórmula as vezes é acelerada em alguns indivíduos, fazendo que eles sejam forçados a amadurecerem mais depressa que os demais.
O fluxo de responsabilidade que cai no sangue é mais poderoso que as enzimas da inocência, assim apenas com endorfina ou noradrenalina é possível rever conhecimentos, momentos e sentimentos bloqueados pelos agentes despolarizantes.
Porém há um catalisador conhecido como Destino. Este por sua vez faz tudo o que você conhecia virar de ponta a cabeça. Seja de forma direta ou indireta, a possibilidade de você se apaixonar está a todo momento sendo discutido por esta constante. Por isso não há como explicar cientificamente o porque que você só foi notar sua vizinha depois de 30 anos, ou então o porque que a garota mais linda do colégio namora o mais feio (e ele não é rico e possivelmente não será nada, além de um assalariado).
Após breves palavras sobre minha teoria, termino por aqui sem muitas chances em continuar este post noutro.

Fantasia

Arte de @raytongart V oltei a ver alguns animes. E, desde que voltei, percebo o quanto o machismo e erotização é exagerada e comum. Todos os...